logoPPVBprpetohor.png

Como cuidar da pele durante a menopausa


Ressecamento, flacidez, manchas e rugas. Será que é possível ter uma pele saudável, hidratada e com vitalidade mesmo na menopausa? Para quem não sabe, a menopausa ocorre por volta dos 50 anos de idade e é caracterizada pela suspensão definitiva da menstruação. Os principais sintomas dessa fase, também conhecida como “período do climatério”, costumam ser as ondas de calor e sudorese noturna, alteração no padrão do sono e diminuição da libido.


Conversamos com a dermatologista Gabriella Albuquerque que nos falou sobre as medidas que a mulher pode adotar para atenuar os efeitos da menopausa na pele. " Essas recomendações dizem mais respeito a bons hábitos do que a procedimentos dermatológicos" , diz Gabriella, que segue uma linha mais sustentável na dermatologia. A dermatologista é adepta e incentiva o uso de várias receitas caseiras para cuidar da pele, cabelos e unhas, com ingredientes que a gente costuma ter em casa. "Durante o período da menopausa, ocorre uma brusca diminuição das fibras elásticas como o colágeno e a elastina, levando a uma flacidez excessiva da pele. Também é comum a pele ficar mais ressecada e sensível, tornando-se propícia a irritação, rugas e manchas". explica.

Manter a ingestão hídrica de no mínimo dois litros de água por dia, já que a hidratação começa de dentro para fora.

Vamos conferir as recomendações!

Segundo vários estudos, a mulher perde 30% do seu colágeno nos primeiros quatro anos da menopausa. A escassez dessa proteína, responsável pela elasticidade e firmeza da pele, causa seu afinamento e aumento das rugas. Nessa fase, a pele perde também a capacidade de reter água e se torna bem mais ressecada. Outro efeito indesejável é a alta produção de cortisona, que faz surgir pelos na região da barba e do buço, além de uma maior distribuição de gordura corporal.

- Uma recomendação básica, mas que sempre deve ser lembrada, é a de manter a ingestão hídrica de no mínimo dois litros de água por dia, já que a hidratação começa de dentro para fora.

- Consumir soja pode ser uma boa dica para a mulher que atravessa a menopausa. Este alimento é fonte de fitoestrógeno, que age nos receptores de estrogênio da pele, aumentando a concentração de colágeno e a produção de ácido hialurônico.


- A reposição de colágeno via oral tem sido relatada nos estudos como uma boa opção na pós-menopausa. Depois de três a quatro meses de consumo diário dessa proteína via oral, é possível perceber a pele mais elástica e hidratada. Porém, para que o colágeno tenha uma boa passagem entre o estômago e a via sanguínea, é necessário um pH ácido. Por isso, sugere-se sua ingestão longe das refeições. Recomendo o consumo de uma marca de confiança. Nem todas têm colágeno bem fragmentados para uma boa absorção no

estômago.


- Já a reposição de resveratrol, antioxidante presente no vinho tinto, atua não apenas na melhora da produção de colágeno como também na vitalidade das mitocôndrias, responsáveis pelo processo de oxigenação celular.

- Hidratar a pele com bons cremes é fundamental nessa fase. Minha dica é usar o hidratante logo depois do banho, com a pele ainda úmida, para potencializar sua ação.

- Indico o uso do filtro solar diariamente para evitar que os danos do sol se perpetuem. Sempre recomendo os protetores com cor. Além de funcionarem como maquiagem, esse tipo de produto protege ainda mais a pele. Isso porque o dióxido de ferro presente na composição, responsável pelo pigmento, diminui os danos causados pela luz visível, a exemplo daquela que penetra pelas janelas.

Embora bons hábitos sejam fundamentais, há ótimos procedimentos dermatológicos, que quando bem indicados, são grandes aliados para a qualidade da pele na menopausa. Entre eles está a aplicação de toxina botulínica para amenizar as linhas de expressão, o ácido hialurônico para tratar rugas e o laser de erbium YAG do aparelho Fotona.





Gabriella Albuquerque é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e especializada em rejuvenescimento não cirúrgico.


Atende em sua clínica em Botafogo e é chefe do Departamento de Dermatologia do Corpo de Bombeiros do Estado Rio de Janeiro, onde está há quase 20 anos. Em 2013 e 2014, ela coordenou o Departamento de Cosmiatria da SBD Regional RJ, onde também comandou o Departamento de Laser, entre 2015 e 2016. Em outubro, ela vai dar uma aula sobre biomodulação ao redor dos lábios no AMWC, um dos congressos mais importantes nos segmentos de estética e antienvelhecimento.



SAIBA TAMBÉM:


Sexual Wellness: Saiba a importância do autoconhecimento sexual para seu bem-estar


RETIROS E SPAS: Retiro Urbano Spa no Santa Teresa Hotel MGallery

Revista Per Vivere Bene