logoPPVBprpetohor.png

Conheça o Soundfulness: Terapia que utiliza o som para massagem e autoconhecimento

Escute o silêncio. Essa é a frase que está escrita na plaquinha pendurada na porta da sala de atendimentos do Per Vivere Bene. Algumas pessoas acham que é para pedir para ficar em silêncio, porém o pedido é mais profundo: para aproveitar o momento para estar em sintonia com você mesmo. Seguindo essa "vibração", conversamos com Pierre Stocker, músico, terapeuta e criador do Soundfulness Education, Formação em massagem de som e do curso de formação em Sound Healing. Ele que nos falou um pouco sobre seu caminho sonoro e suas técnicas terapêuticas que usam o som como fio condutor de cura e autoconhecimento.

Criado por Pierre Stocker, o SoundfulnessⓇ representa o resultado de anos de trabalho e estudo voltados para a arte e ciência sagrada do som. "Para chegar aqui e me aprofundar na Terapia do som, no Soundhealing, eu sai pela América do Sul em busca de mim mesmo. Observando a natureza, trilhando pela Cordilheira dos Andes em silêncio e comecei a perceber que a vibração deste silêncio me ajudava a entender a vibração da natureza", explica Stocker, conhecedor profundo da música e dos sons com 30 anos tocando saxofone e interesse pelas diversas culturas musicais do mundo relacionada a espiritualidade e que usam o som como arte na cultura.


Segundo Pierre, a música o ajudou no processo do autoconhecimento e foi a chave para desvendar esses mistérios. "De maneira metafísica, o som é um condutor na consciência da identidade, na busca pela sua essência. Eu estudei muito as vertentes terapêuticas do som. Primeiro foram as taças tibetanas e como elas podiam ser aplicadas na forma de massagem, depois estudei massagem de som e os estados ampliados de consciência através do som com psiquiatras na Europa e trouxe para o Brasil em 2009, em formato de jornada sonora, que seria uma terapia sonora em grupo. Hoje eu sei tocar doze instrumentos ao vivo com vários efeitos".


O terapeuta coloca as pessoas deitadas de olhos fechados para terem uma experiência da ampliação do som. "O som tem muito mais poder quando ele somente é ouvido. Quando não só olhamos, mas percebemos o universo sonoro. Percebi que nessas vivências as pessoas tinham uma experiência profunda e percebi que quando elas procuravam a essência de quem elas eram, era necessário viver, sair da sua zona do conforto, para se encontrar. Eu podia apenas tocar e falar sobre o som, mas eu queria compartilhar e assim virei terapeuta, sem querer, introduzi o som integrativo com nível físico, emocional e mental como cura de doenças psicopatológicas e de forma espiritual".



"O som pode resgatar memórias, a ancestralidade, a espiritualidade vivida e contada pela pessoa".


Sem dúvidas, uma experiência sonora sem palavras é muito diferente de quando você reza, pois você fecha os olhos e recebe o som. O som é um veiculo de conexão com a essência e com isso resgata o sentido da vida e assim, de várias maneiras você cura a sua relação com a sua avó, sua relação com dinheiro, por exemplo. O som é uma inteligência da natureza e o terapeuta pode trazer a intenção, mas quem faz o trabalho é a tríplice, ou seja, o som é o veiculo, o elo de conexão é paciente e o terapeuta.


"Tudo vibra: o sol, o olho, a mesa, tudo vibra! Então o universo é vibracional, portanto o som é veículo como metáfora perfeita para estudar o universo. Os princípios da vibração, a ressonância que tudo ressoa, tudo tem uma freqüência. Quero ajudar meus alunos a perceberem melhor a energia por trás do som e isso abre uma porta para uma percepção mais ampliada de mundo. Com isso, a pessoa tem mais embasamento para se comunicar com vibração, entendendo que ela é vibração".

"Meus estudos seguem os quatro pilares: autoconhecimento, ciência/medicina do som com pesquisas cientificas, e o terceiro é o soundhealing. Ensino a tocar instrumentos, ter protocolos de atendimentos, sobre a psicologia, aulas sobre a terapia de maneira holística e integrativa para perceber que o ser humano é como um todo: físico e emocional. E o quarto pilar é a arte da conexão, a musicalidade. Ensino a criar vivencias, rituais de som, fazer o som como algo sagrado, resgatar o sentido originário do som, que é ritualístico", diz Pierre que tem como propósito que o soundhealing possa ajudar as pessoas a encontrar seu rumo.


"A ideia é formar mestres da ressonância, muito além de terapeuta".


Para quem não sabe, o Sound Healing (cura vibracional ou terapia do som) é um conjunto de práticas terapêuticas que visam a restauração, o equilíbrio e a harmonia dos corpos (físico, energético, mental, emocional e espiritual). Essa terapia integrativa oferece uma experiência singular de saúde conectando os seres humanos com a essência da natureza e da vida por meio das frequências vibratórias. As vibrações que navegam no silêncio, no espaço vazio que permeia toda criação, têm o poder de criar movimentos e organizar a matéria. Com esse olhar, percebemos que o som, além de curar, abre uma porta para espiritualidade, pois contém o grande mistério da vida.





Revista Per Vivere Bene