logoPPVBprpetohor.png

ACQUA MATER EXPERIENCE: o poder transformador da água

ÀGUA QUE ME ACALMA, QUE LAVA AS EMOÇÕES E QUE ME LEVA AO COLO DO MEU NASCIMENTO. Um dos elementos poderosos da nossa vida e muito usada como fundo terapêutico, a água estará 100% presente no workshop ACQUA MATER EXPERIENCE (AME), ministrado por Patrícia Furtado, que são vivências – atendimentos pessoais, workshops ou retiros em grupo – que nos permitem desacelerar, desconectar dos ritmos urbanos para nos reconectarmos com nossa verdadeira essência, em um espaço de confiança e afeto. Os 3 pilares do trabalho são Presença, Escuta, Cuidado. Este workshop terá 12h e acontecerá nos dias 25 e 26 de janeiro, próximo finde, na Hidrovida, Gávea, Rio de Janeiro. A produção é da Sensoperceptivas – Viagens e experiências.


"Mergulharemos em nossas águas com outro tipo de consciência, de modo sensível e usando ferramentas que nos permitirão alcançar novas percepções corporais, acessar nossas emoções e eventuais medos. Num ambiente de respeito mútuo, acolhimento e não julgamento, também exploraremos a nossa relação com “o outro” por meio de uma série de exercícios realizados em dupla, em trio e coletivamente. Como estão previstas práticas de imersão na água, convidei o instrutor de mergulho em apneia e praticante do DeRose Method, Daniel Mafra, para conduzir alguns exercícios respiratórios, para que favorecer o relaxamento e dar mais segurança aos participantes que se sentirem desafiados a experimentar breves momentos de dança e meditação debaixo d água", diz Patrícia.


"É uma experiência muito forte de reconexão, porque a água foi o primeiro ambiente onde nós vivemos, por 6/9 meses, antes de nascermos ao mundo aéreo e terrestre".

Além do worskhop, Patrícia também oferece, na semana anterior e na semana seguinte, sessões aquáticas individuais, para quem se interessar em viver essa experiência num ambiente de maior intimidade. São duas experiências diferentes e complementares, que não competem entre si.


"Não sou terapeuta de formação, nem tenho a intenção de me tornar terapeuta. Por isso, não me apresento como tal, nem digo que meu trabalho é terapêutico.

No entanto, na minha trajetória de “investigadora das artes do corpo”, principalmente através do teatro e da dança, sempre troquei muito com terapeutas corporais e, naturalmente, diversos elementos provenientes das pesquisas desses colegas entraram, quase que por osmose, no meu trabalho. Sem dúvida, aspectos da osteopatia “fluídica” ou “funcional”, como chamam os franceses, estão entranhados no ACQUA MATER EXPERIENCE, já que, por 12 anos, estudei com um bailarino francês, Claude Coldy, que junto de um casal de osteopatas, Jean-LoiusDupuy e Marie Guion, desenvolveu uma pesquisa que visava “traduzir” os princípios da Osteopatia em técnica de dança, a “Dança Sensível”. Fiz minha tese universitária sobre essa pesquisa, mas focando no tema das Memórias Marinhas, investigando nossas “origens aquáticas”. Foi aí que comecei a praticar dança subaquática em apneia, usando as monofins/monopalmas, aquelas nadadeiras que juntam os pés, obrigando você a nadar como uma baleia, como uma sereia. É aí que nasce meu interesse pelo mergulho em apneia. Isso foi no início do ano 2000.

Portanto, não escolhi a água como terapia. Mas me considero um veículo para que a água favoreça processos de cura das pessoas, por ser o meio mais potente de colocá-las em conexão com sua verdadeira essência, com suas memórias, com suas próprias origens. Portanto, meu trabalho pode ter resultados terapêuticos, mesmo não se propondo como terapia. É a água que faz o trabalho, se a pessoa se abandona às suas próprias águas: às suas próprias emoções", explica.


Os mitos antigos já falavam do poder das águas, tanto que sempre foi utilizada em diversos rituais de cura. Os chineses já indicavam a talassoterapia em 4.000 a.C.. Na Antiga Grécia, Hipócrates, Eurípedes e Platão também se tratavam com água de mar. Todos os povos originários falam do poder sagrado e de cura das águas. Patrícia Furtado também acredita no poder transformador da água em sua potência como veículo de (re)conexão e de autoconhecimento, porque ela nos religa às nossas origens, ao Mistério. "É um portal de acesso ao nosso inconsciente, às nossas emoções mais profundas. O Oceano é a nossa verdadeira ancestralidade, é nosso passado comum. É de lá que saem todas as águas, é para onde elas retornam. Por isso, é hora de resgatarmos esse antigo saber para cuidarmos da nossa saúde e da saúde do nosso planeta. Todas as nossas águas precisam ser protegidas, revitalizadas, curadas. Sabemos que, sem água, não há vida. Ela é a fonte de tudo".


PERGUNTA PER VIVERE BENE:


COMO AS PESSOAS PODEM USAR A ÁGUA NO DIA A DIA PARA SE ACALMAR?


"Há diversos estudos de neurociência comprovando que a mente se acalma quando em contato com a água, pela visão, pelo som, pelo tato. Já fizeram testes, inclusive, mostrando a reação do cérebro quando um indivíduo observa uma pintura ou uma fotografia que mostra um lago, o mar. Ou seja, mesmo não estando em contato direto com águas naturais, o cérebro já reage imaginando que poderia estar naquelas paisagens. Além disso, na impossibilidade de viajar ou de estar no meio da natureza, a pessoa já pode se acalmar estando perto de uma piscina, tomando um banho de chuveiro ou de banheira. Também pode se deitar e ouvir uma música com sons tranquilos de ondas, de água correndo, de chuva caindo. Ou buscar imagens de águas calmas, imaginando-se naqueles lugares. Há inclusive quem se acalme observando a água num copo transparente! Na impossibilidade de qualquer uma dessas hipóteses, basta fechar os olhos e se imaginar em lugares de águas calmas, e respirar, buscando se conectar com elas. Quem é mais ousado pode se imaginar mergulhando nos vários líquidos do corpo, visualizando as águas que preenchem as células, que encharcam os tecidos e músculos que sustentam os órgãos do corpo, que fluem nos vasos sanguíneos e linfáticos que nutrem todos o nossos sistemas. Portanto, basta dar asas à imaginação para voar!"


Atenção!

O workshop é particularmente indicado a atores, bailarinos, acrobatas, praticantes de esportes aquáticos e terapias corporais que desejam desafiar os próprios automatismos, descobrir um novo corpo e se relacionar com outras pessoas de forma mais sensível. Não é necessário saber nadar ou ter experiência prévia. Por isso, todos são bem-vindos! Será dada particular atenção, inclusive, a quem tem "medo da água".

Para mais informações sobre o WORKSHOP, clique aqui:


https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc9e5-IazPV7nf_jk9R1ec3zjmxrlGRaYPDxcw7ZiETwtf7HQ/viewform

Revista Per Vivere Bene

Copyright © Per Vivere Bene, 2019